quarta-feira, março 29, 2006

Personagens...

Para ser possivel associar caras a nomes, aqui vao entao fotos de personagens la de casa e nao so...

Temos a Claudine


A unica trabalhadora la de casa, para alem de mim. Por isso, sirvo de despertador pois infelizmente acorda quando estou eu a sair de casa...

O Oliver

A Flavie

O Arvin

O Will

A Celine, francesa...

Para alem de todas as personagens habitantes da Calle del Carmen, 9, 4a Izq. temos outras espalhadas pela cidade.

Sendo assim resolvo fazer uma homenagem ao David da Martinica e a sua felicidade por poder tirar uma foto com a mais estimada nota de 10€


Por enquanto temos estas... outras virao no futuro...

Hasta luego

sábado, março 25, 2006

Folheando mais umas paginas...

Continuando a folhear mais algumas paginas do meu lar actual...

A saida do meu quarto temos 2 opcoes: ir em frente...






Onde temos o quarto do Arvin (iraniano - americano) ao fundo, da Celine (francesa global, depois de ter vivido em Franca, Singapura, Londres, Madrid, etc...) a direita depois da mesa e do Will (holandes) logo a direita (nao se ve a porta). A esquerda, por detras da porta, a casa de banho.









Ou virar a esquerda...




Temos a porta da rua a esquerda e a direita "a continuacion"...

O corredor para a cozinha...

E o quarto da Claudine (francesa) a esquerda...

Entao temos a cozinha...

Pode parecer algo desarrumada, mas ate nem e dos piores dias... 7 pessoas a viver numa casa usam muita louca...

Por outro lado...

Em frente temos o nosso muro das lamentacoes...

Quanto aos quartos alheios, terao de ficar para outro dia em que me permitam mostrar tao ineditas imagens...

Hasta luego...

sexta-feira, março 24, 2006

Comparando...

Por mais que as vezes nao faca sentido, pois cada pais tem a sua cultura, os seus costumes e a sua historia, que influencia muita coisa, nao consigo deixar de comparar os sitios por onde vou e aquilo que vejo com o que normalmente acontece por esse pedaco de terra...

Uma das coisas que me saltou a vista nos ultimos tempos, e longos periodos tenho estado no meio do trafego de Madrid, e a eficiencia dos policias sinaleiros. Sim, a hora de ponta e as vezes ao domingo..., eles saem para a rua como pirilampos (com os seus coletes reflectores) e poem se no meio da estrada a gesticular e a apitar. Nao, nao estao simplesmente a mandar os carros avancar, de acordo com a cor do sinal luminoso que esta ao lado, como as vezes aparece por ai. Simplesmente trabalham como deve ser, ou seja, o condutor deve esquecer que existe o sinal luminoso e dar atencao ao pirilampo que apita, para saber quando deve andar ou parar. E realmente o transito flui de uma forma diferente. Mais dificil ainda e quando temos 2 ou 3 destes a mexerem as asas num espaco de 100m2, para organizar um cruzamento qualquer, em que apenas o erro de 1 podera por em causa o funcionamento de todos.

O facto de nao ter de andar a procura de uma caixa do meu banco para evitar pagar comissoes desnecessarias, um privilegio que parece que ainda temos mas sabe se la ate quando, e um alivio para qualquer pessoa. O comprar o passe do metro, apesar de ainda estar numa fase inicial , ou o bilhete de comboio sem ter que me deslocar as tao frequentadas bilheteiras e algo que vale a pena saludar. Para nao falar de outro sem fim de funcionalidades que existem como bilhetes de concertos, etc...

Por todo o lado ha coisas boas e coisas mas, umas melhores, outras piores, mas todas tem o seu contexto. O de aqui nao e assim tao diferente e por isso leva me a pensar que criar um cenario com o melhor de todos estes aspectos e procurar segui lo e o melhor que se tem a fazer. Sabe bem pensar que algumas dessas coisas foram retiradas do nosso contexto...

Hasta luego...

quinta-feira, março 23, 2006

Home Sweet Home...

Pois agora que posso mostrar algo mais... aqui vao diferentes perspectivas do meu quarto.Por enquanto fico me por aqui...

Este foi o resultado de uma ida a Feira da Ladra ca do sitio, mais conhecida por El Rastro. Basicamente, ocupa uma parede.

Cama ... mas nao muito.


Tudo em grande... janela, espelho...


Por um lado temos o armario improvisado e por outro a preparacao para o mundial e para a Liga dos Campeoes.

Por hoje e tudo... o resto fica para outro dia. Sim, porque a casa nao se fica por aqui. Somos 7 e cada 1 tem o seu quarto. Penso que da para imaginar.

Hasta luego...

quarta-feira, março 22, 2006

Desconhecidos...

Falando hoje das noticias que se tem espalhado por Espanha e Madrid, estas vao desde problemas internos a outros relativos ao exterior.

No primeiro caso temos a aplicacao de parquimetros em todos os bairros madrilenos e a dificuldade em aceita-lo pelos cidadaos ou a passagem ou nao do novo Estatuto Catalao que confere cada vez mais poderes independentistas a tal regiao, ao que se espera que se venham a seguir outras regioes (como o País Basco por exemplo) .

No segundo caso temos noticias como as politicas economicas da UE e o proteccionismo nacionalista tanto Frances como Espanhol na area energetica, ou os problemas sociais ocorridos em Franca apos a divulgacao do novo projecto de lei laboral do seu Governo. E de salientar ainda a importancia das politicas de imigracao pois diariamente se tem falado da quantidade enorme de africanos, ultimamente da mauritania, que improvisam "barcos" de toda a especie para tentar entrar em territorio espanhol, neste caso atraves das Canarias. E claro que muitos deles nao conseguem alcancar tao desejado objectivo e outros sao recambiados apos atingirem a felicidade de tocar a terra que procuravam.

De tudo isto, queria questionar apenas a total ausencia de referencias a Portugal, sendo que nos estamos lado a lado, que me parece de certa forma reveladora da importancia que e atribuida ao nosso pais por parte da maioria da populacao. Pode se dizer que posso contar pelos dedos das maos as noticias que faziam essa referencia.
Se por outro lado, em Portugal ate se vibra com o nascimento da princesa espanhola, que sinceramente a mim me diz pouco, porque nao sera este sentimento reciproco?!!!

Leva me a considerar que poderemos medir o nivel de desenvolvimento do pais pela importancia que as suas noticias vao tendo nos outros paises com quem se relaciona. Sera este um bom medidor? Se sim, ainda temos muito caminho a percorrer...

Posso ainda referir que se esta e a situacao em Espanha, no resto da Europa sera todavia mais acentuada esta ausencia de informacao. Apenas se deve restringir aos locais onde o numero de emigrantes portugueses atinge uma dimensao relevante. Tanto mais que conversando, e nao pela primeira vez, com franceses acerca da ideia que tem dos portugueses, ainda hoje, e que somos peludos e sujos. Isto vindo de pessoas que praticamente nao tinham tido contacto com nenhum exemplar de onde possam ter tirado tais conclusoes. Nao e esta a ideia que se tem de qualquer monstro, quando somos criancas, seja ele o papao ou o abominavel homem das neves? Falo de monstro como podia falar de qualquer ser desconhecido, nao obrigatoriamente pela imagem negativa que a ele esta associada.

Fica assim a nosso cargo, de quem esta fora do pais, a alteracao deste estado das coisas. Espero para isso contribuir e de forma positiva...

quinta-feira, março 16, 2006

Diferencas teclais...

Estava a conversar com uma conterranea quando nos pusemos a discutir sobre as diferencas culturais informaticas, ou especificamente falando, nas diferencas teclais.

E do conhecimento da maioria que os teclados variam de pais para pais, nao so para acompanhar as mudancas da lingua local como tambem por mera teimosia e arrogancia de todos os paises que nao abdicam das suas "tradicoes" em beneficio de uma vida cada vez mas global.
Desta forma, posso explicar o facto de nao usar acentos neste espaco, pois uma vez que nao disponho de todos os que precisaria, escolhi nao usar nenhum para estes nao se sentirem discriminados.

A primeira surpresa, e ja la vao quase 2 meses, foi quando me deram um computador para as maos no trabalho e este trazia a tecla "ç". Pois nao esperava minimamente que isto acontecesse porque nos meus reduzidos conhecimentos da lingua espanhola, esta nunca se enquadraria.
Resolvi perguntar e disseram me que na Catalunha e uma letra usada e ate no resto do pais a usam para se referirem ao "Barça". A presenca ja esperada do "ñ" tambem e um facto interessante.

Uma das questoes que posteriormente surgem quando se vive numa casa com pessoas de diferentes nacionalidades, numa altura em que cada um tem o seu portatil, e precisamente essa. A todos os portugueses e portuguesas, e muito mais dificil usar um PC frances que um espanhol. Nao quero com isto estar a ser xenofobo, simplesmente me refiro ao posicionamento das teclas nos equipamentos. Ainda nao experimentei o holandes, mas e bem possivel que seja uma aventura.

Porque nao resolvem por se de acordo e seleccionar um sistema que facilite o trabalho da maioria? Bem sei que faz parte da riqueza cultural, mas nao me parece que este caso seja a melhor aplicacao dessa teoria. Ha situacoes em que isso nao se justifica principalmente quando se trata de um historial que nao deve ter muito mais de 25 anos, pelo menos nos moldes que hoje se conhecem...

segunda-feira, março 13, 2006

Parabens atrasados mas publicos...

Pela distancia que nos separa, e dificil conseguir falar com as pessoas que vao fazendo anos por esse mundo fora.

Por isso aqui ficam os Parabens aos que entretanto passaram por esses dias, desde que ca estou, que espero tenham sido bons:

Natario - 10 Fevereiro
Maria - 23 Fevereiro
Filipa - 3 Marco
Marina - 8 Marco

Mesmo que nao venham a ler esta mensagem, pode ser que alguem lhes faca chegar ao ouvido, OUVIRAM?!!!

PARABENS! atrasados, mas o que conta e a intencao.

Quase Primavera... finalmente!!!

Deixemos o frio de lado e entremos rapidamente na primavera. Isto de ir pelas ruas com agua em forma de cristais brancos e gelados nao esta com nada. Nao apetece nem ao menino Jesus sair das suas palhas deitado para ir visitar a cidade e os museus de Madrid. Agora sim, vou partir a descoberta.

Comecei ontem por ir dar uma voltita num dos varios parques da cidade, nenhum bem no centro, diga se. Achava eu que estaria cheio, tendo em conta o dia que estava, mas enganei me pois para alem da companhia que ja levava (troop caseira internacional), pouco mais do que casais espalhados a estudar a consistencia da relva encontrei. Pode se dizer que o parque era bastante grande e com muito espaco para as pessoas aproveitarem. Penso que faltavam algumas actividades para atrair mais gente ao local. Nao sei se e demasiado cedo, talvez la para Maio tenha mais vida.

Isto de comecar por conhecer a vida nocturna de Madrid tem muito que se lhe diga... ou nao. Tudo depende da perspectiva. Simplesmente porque ha muita coisa para ver e conhecer, mas por outro lado pouco se pode ver no dia seguinte, que ja que e para conhecer, vai se ate ao fim.
Claro que o sono existe e pesa e por isso retira nos algumas horitas de sol do dia seguinte, o que nao se pode dizer que seja desperdicio. Afinal de contas, o se conhece de Espanha por esse mundo fora?: paella (ja provei), sol (estou a espera), Prado e Rainha Sofia (vou vendo aos poucos), familia Real (sim, falta me ver a Leonor... mas e dificil pois e pequenina) e a fiesta (pois achei que era um bom sitio para comecar).

Uma das coisas que gosto e de aprender a falar linguas e conseguir comunicar com as pessoas. Nesse aspecto, isto esta a ser em grande, ou nao vivesse numa residencia espanhola. Pois em casa, para alem do Ingles (Americano) e do espanhol que falava no inicio, comecei tambem a praticar o frances. Sim, ja consigo que me digam que falo e entendo bem a lingua dos Luises. Qualquer dia estou fluente em holandes, pois pouco mais consigo la por casa. Depois, so mudando de casa, talvez para casa de 1 chines ou arabe (venha de onde vier).

Continuando a praticar as linguas por estes lados...

Hasta luego (que para quem nao sabe significa desde Ate logo! a ate amanha, ate pro ano, ate quando quiseres, etc...)

sexta-feira, março 10, 2006

Paises Hermanos...

Isto de sermos paises irmaos tem muito que se lhe diga.

Estava eu no outro dia a trabalhar no armazem, quando aparece um senhor das reparacoes a procura de uma peça, que nao eu. Vinha a assobiar uma musica que vim a reconhecer como sendo Killing Me Softly dos The Fugees. Ja estava eu admirado por tal cultura musical, apenas porque se tratar de um jovem de idade ja adiantada e espanhol a cantarolar uma cancao americana, quando ele volta com uma nova melodia a acompanha lo.
Surpresa das surpresas quando comeco a reconhecer o som e a associa lo ao nosso saudoso Jose Afonso. Mais nao era que o Grandola, Vila Morena. Era o inicio de uma revolucao mental nas minhas ideias sobre o tempo e a atencao que o povo do nosso pais irmao nos dedica. Mais ainda quando me disse que foi uma epoca que lhe tinha dito muito. Ja me tinham falado na Revolucao "de los Claveles" mas dai a ficar desiludido pela incapacidade nacional em levar os responsaveis pela ditadura a justica...

Nao querendo ser repetitivo, mais um episodio da vivencia do futebol fora de portas ultrapassei. Nao e todos os dias que se consegue inundar um bar irlandes em Madrid com canticos de Glorioso SLB, parecendo que estava num qualquer cafe da Expo ou de outro bairro da capital. E mais oportunidades haverao...

Ca continuarei com as escritas possiveis...

Hasta Luego

segunda-feira, março 06, 2006

Fim de semana...

Fim de semana, para mim, em Madrid, e significado de descanso... mais ou menos!

Uma das coisas que se tem que fazer e aproveitar a imensa e variado oferta nocturna da cidade. Desde restaurantes a bares, a discotecas, nao falta nada. Existe de tudo um pouco. Acho que poderia viver aqui mais de 1 ano sem conhecer metade das coisas que ha. Principalmente porque se vao descobrindo sitios agradaveis e fica se tentado a comecar a frequenta los mais vezes, deixando de lado a vertente de turista e explorador. Prometo que farei um esforco para nao ceder, ate para poder ser um bom anfitriao, mesmo numa cidade que nao a minha.

Assim, este fim de semana, passei por uma vertente mais comercial e cosmopolita e por outra mais local e caracteristica. Posso dizer que gostei das duas, de formas diferentes. A frequencia era diferente mas agradavel em ambas: cosmopolita na primeira, o que nos faz sentir mais acompanhados nesta aventura, integradora na segunda, o que por outro lado diminui a distancia as pessoas da terra.

Aproveitei ainda para dar uma volta no Prado. Descobri que a melhor solucao e mesmo a que escolhi, principalmente para quem se pode dar ao luxo de o fazer: ir la muitas vezes e pouco tempo de cada vez. Poder se a entao ver tudo e bem, o que e impossivel de o fazer de uma so vez pela gigantesca dimensao que aquilo tem. Vou seguir esta estrategia pelos outros museus da cidade, o Reina Sofia e o Thyssen, pelo menos.

Ainda tive tempo para dar umas voltas por varias ruas do centro. Sempre se vai conhecendo alguma coisa e ganhando confianca para andar por ai sem ter um mapa pronto a ser usado. Nao e uma coisa facil quando se chega a uma cidade nova e nao se tem ainda sentido de orientacao apurado, principalmente se faltam pontos de referencia visiveis de todo o lado, como se consegue numa cidade montanhosa ou junto ao mar. Esta e bastante plana e muito homogenea no centro, pelo que as referencias falham. Essa confianca sai reforcada quando se chega ao ponto em que nos perguntam na rua onde fica a Calle Atocha e ate ja conseguimos dizer qual e. Vitoria pessoal!!!

E pronto... fico por aqui por agora...

Hasta luego...

sexta-feira, março 03, 2006

Como e bom...

Ah!!!!!!!!!

Como e bom chegar ao pe de qualquer pessoa, seja ela quem for, e nao estar preocupado com a forma como se deve trata-la... Tu, voce, pelo nome, por Sra., por Dra., por Exma., por Sua Excelencia...

Acabemos de vez com estes titulos que apenas distanciam as pessoas e dificultam uma comunicacao livre e aberta.

Se ha coisa que aqui nao fazem e isso. Mais ainda: as pessoas encontram se no elevador, no cafe, no supermercado e todas se cumprimentam... Vivem mais uns para os outros, nao passando ao lado como se vivessem sozinhas neste mundo. Qualquer dia ainda experimento comecar a dizer Hola! a toda a gente que me aparecer a frente no metro so para ver a reaccao, o que nao me parece que fosse ofender ou envergonhar ninguem. A diferenca existe mas ainda nao chega ao ponto de se falarem nesse meio de transporte que parece que tem um poder inibidor nas pessoas que parecem tristes zombies todas as manhas. Nao era mais interessante se se partilhassem as experiencias de vida com a pessoa que vai sentada ao nosso lado no metro? Nao teriamos muito mais historias para contar ao fim de semana?, pois estamos a falar de pelo menos 10 viagens, que provavelmente significariam 10 pessoas e 10 historias diferentes...
Se alguem tiver vontade de experimentar e for bem sucedido ao faze lo, que me avise...

Os nomes existem e sao para ser usados e por isso nao abusemos dos titulos e dos apelidos. Se calhar e por isso que por ai temos muitos e na maioria dos paises Europeus eles so tem 1. Usam no menos e por isso nao se fartam dele, pelo que nao precisam de mudar ao longo dos anos. So eu tenho 3 e ja fui conhecido pelos 3 nos poucos anos que levo por ca. Por isso imaginem quem tem mais. E uma confusao.

Rotina diaria...

E dificil ir tendo novidades todos os dias para contar... principalmente quando se trabalha durante 8 horas por dia mais 3 de deslocacoes de e para o local de trabalho. Assim, durante a semana, o tempo livre restringe se a pouco antes e ao pos jantar.

Uma das coisas que quem vai para fora, a meu ver, procura no inicio, por estranho que pareca, e criar uma rotina. Estranho porque na vida nao se costumam apreciar muito as rotinas mas elas de certa forma ate sao relaxantes pelo facto de sabermos o que se vai passar a seguir e o que teremos de fazer. Sendo assim, quando nao se tem, torna se um objectivo a perseguir. Pois bem, posso dizer que ja comeco a ter a minha rotina por aqui. Pelo menos durante a semana.
Acordar, caminho para o trabalho, trabalho, caminho de volta para o trabalho e depois algum tempo livre. Para isso existem os amigos, o cinema e agora o ginasio. Sim, ontem inscrevi me num para ver se faco algo mais do que subir as escadas para o quarto andar do predio onde vivo. Nao se preocupem que tem elevador. Eu e que sou daqueles malucos que tem a mania de fazer step.

Podemos agora passar a fase seguinte de quem troca de vida completamente de um dia para o outro. E a fase do fugir a rotina e procurar conhecer melhor os sitios e as pessoas, para alem do trivial visto pelo turista. Por enquanto nao posso falar muito disso pois ainda cheguei la mas penso que nao ha de faltar muito. Pelo menos, para variar da rotina de Lisboa, tenho um bom principio, que e o de olhar pela janela e ver as montanhas cobertas de neve. Sim, porque entrando neste esquema, parece que ele e indiferente, estejamos onde estejamos. Pois existem pequenas coisas que nos fazem relembrar que nao e bem assim e afinal ainda ha muito coisa por descobrir.

Outra delas e o facto de ter constantemente visitas de Portugal, uma vez que nao e assim tao longe (estao a ouvir!!!!!!!!!!!). Quase todas as semanas tem aparecido por ca alguem. Tambem nao estou aqui ha tanto tempo assim. Apercebi me ontem que ja passou 1 mes mas o que e isso?!!
Estas transportam nos de uma rotina para outra. O que e interessante pois passamos a ter uma visao mais exterior das 2.

Aqui continuaremos a procurar estes saltos e a divulga los daqui para a frente...

Hasta Luego